Fertilidade

Subscribe to Fertilidade feed
Clinica de Reprodução Humana em São Paulo, SP. Tratamento de Infertilidade. Técnicas modernas de fertilização in vitro. Dicas para manter sua fertilidade.
Updated: 1 hour 58 min ago

Idade gestacional com a FIV

Sat, 05/12/2018 - 13:32
Idade gestacional

na FIV

A gestação humana é contada em semanas, com 40 semanas sendo considerado a gestação de termo. Muitas pessoas não percebem que quando é feito a fertilização in vitro (FIV), nós não iniciamos a conta a partir do dia de transferência do embrião para o útero.

A gestação é determinada pela idade do feto, e não pelo tempo que ele está sendo carregado. Desse modo, se você está tranferindo um embrião para o seu útero, o embrião já tem uma idade calculada.

Na gestação tradicional, a idade gestacional começa a contar a partir do último dia do período mentrual. No momento da concepção a idade gestação já está próxima de 2 semanas.

Portanto, ao calcular a idade gestacional na FIV, e também na barriga de aluguel, essa idade começa a ser calculada antes, e permite um calculo muito mais preciso, pois sabe-se a data exata da ovulação, da fertilização e da concepção. Toda essa informação ajuda a calcular precisamente a idade gestacional.

No geral, tranferindo um embrião de 3 dias vai dar uma idade de gestacional de 2 semanas e 2 dias logo após sair do laboratorio. Ao transferir um embrião de 5 dias, já sai com 2 semanas e 5 dias.

Após as 2 semanas de espera para realizar o teste de gravidez, pode chegar a 5 semanas de gestação, dependendo da idade do embrião ao ser tranferido.

A idade gestacional exata será estimada no primeiro ultrassom baseado no tamanho do saco gestacional e feto.

Gravidez múltipla é mais comum na FIV, e, nesses casos, o parto frequentemente ocorre antes das 40 semanas

Calcular a idade gestacional na FIV pode ser confuso. Existem várias calculadoras online para ajudar a fazer esse calculo, mas acredite no seu especialista em reprodução humana. A nossa calculadora de idade gestacional funciona para gestações normais.

idadecalculofivO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categories: Medical

Gravidez ectópica

Sat, 05/05/2018 - 16:27
Gestação Ectópica

Tubárea

Esta informação é para você que quer saber mais sobre gravidez ectópica, como é diagnosticada e como ela é tratada. Também pode ser útil se você for um parente ou amigo de alguém com gravidez ectópica suspeita ou confirmada.

Esta página é principalmente sobre uma gravidez ectópica no tubo de Falópio (gravidez ectópica tubária), embora ele forneça algumas informações sobre gravidez ectópica em locais que não sejam as trompas de Falópio (gravidez ectópica não tubária).

O que é uma gravidez ectópica?

Gravidez ectópica é aquela que cresce fora do útero (ventre). No Reino Unido, 1 em cada 90 gestações (pouco mais de 1%) é de uma gravidez ectópica. Além disso, mulheres que tiveram uma gravidez ectópica anterior estão em maior risco.

A gravidez não consegue se manter nestas situações e pode constituir um grave risco para você.

Em uma gestação normal, o óvulo fertilizado se move da trompa de Falópio para o útero, onde a gestação cresce e se desenvolve. Se isso não acontecer, o óvulo fertilizado pode se implantar e começar a se desenvolver fora do útero, levando a uma gravidez ectópica.

Uma gravidez ectópica pode ser fatal porque conforme a gestação avança e se torna maior podendo estourar (ruptura), causando dor intensa e hemorragia interna.

A maioria das gestações ectópicas se desenvolvem em uma das trompas de Falópio (gravidez tubária), mas, raramente (de 3-5 em cada 100 gestações ectópicas) podem ocorrer em outros lugares.

 

O que é gravidez de localização desconhecida (GLD/PUL)?

Uma gravidez de local desconhecido (PUL) significa que você tem um teste de gravidez positivo, mas não há nenhuma gravidez/nenhum feto identificado em uma ultra-sonografia.

Isto pode ser devido a três razões possíveis:

  • Você pode ter feito o exame muito cedo, e é muito pequena para ser vista em um ultra-som
  • Você pode ter tido um aborto; seu teste de gravidez pode permanecer positivo por até 2-3 semanas após um aborto
  • Você pode ter uma gravidez ectópica.

A incerteza sobre a sua gravidez pode ser muito estressante para você e sua família. Enquanto pode levar um tempo, é importante alcançar o diagnóstico correto antes do seu médico discutir suas opções de tratamento com você. Com uma PUL, você será recomendada a fazer regularmente análises no sangue para medir seus níveis de hormônio da gravidez e seu plano de tratamento será baseado nos resultados dos exames de sangue, relatórios de verificação de ultra-som e características clínicas.

Quais são os sintomas de uma gravidez ectópica?

Cada mulher é afetada de forma diferente por uma gravidez ectópica. Algumas mulheres não têm sintomas, algumas têm poucos sintomas, enquanto outras têm muitos sintomas. A maioria das mulheres tem sintomas físicos na 6ª semana de gravidez (cerca de 2 semanas após uma menstruação faltando). Você pode ou não pode estar ciente de que você está grávida, se suas menstruações são irregulares, ou se você estiver usando uma contracepção que falhou.

 

Como os sintomas variam muito, nem sempre é fácil chegar a um diagnóstico de uma gravidez ectópica.

Os sintomas de uma gravidez ectópica podem incluir:

  • dor no abdômen inferior. Isto pode desenvolver-se de repente sem razão aparente ou pode vir gradualmente durante vários dias. Pode ser de um só lado.
  • sangramento vaginal. Você pode ter alguma mancha ou sangramento que é diferente da sua menstruação normal. O sangramento pode ser mais leve ou mais pesado ou mais escuro do que o normal.
  • dor na ponta do seu ombro. Esta dor é causada por sangue que vaza para o abdome e é um sinal de que a condição está piorando. Essa dor fica lá o tempo todo e pode piorar quando está deitada. Não alivia ao fazer movimentos e não pode ser aliviado por analgésicos. Se você sentir isso, você deve procurar orientação médica urgente.
  • incômodos na barriga. Você pode ter diarreia, ou sentir dor na abertura de seus intestinos.
  • dor abdominal grave/colapso. Se a trompa de Falópio estourar (rupturas) e provocar hemorragia interna, você pode desenvolver uma dor abdominal intensa ou você pode entrar em colapso. Em casos raros, o colapso pode ser o primeiro sinal de uma gravidez ectópica. Esta é uma situação de emergência e você deve procurar cuidados médicos urgentes.

Eu deveria procurar um médico imediatamente?

Sim. Uma gravidez ectópica pode representar um risco grave para sua saúde. Se você teve relações sexuais nos últimos 3 ou 4 meses (mesmo se você tiver usado contracepção) e está experimentando esses sintomas, você deve buscar ajuda médica imediatamente. Consulte-se mesmo que você não ache que poderia estar grávida.

Você pode obter aconselhamento médico de:

Eu tenho um risco maior de uma gravidez ectópica?

Qualquer mulher sexualmente ativa em idade fértil pode ter uma gravidez ectópica. Você tem um risco aumentado de uma gravidez ectópica se:

  • Teve uma gravidez ectópica anterior
  • Tem uma trompa de Falópio danificada; sendo que as principais causas de danos são:
    • cirurgia prévia para suas trompas de Falópio, incluindo esterilização
    • infecção anterior em suas trompas de Falópio; (Doença inflamatória pélvica aguda)
  • você engravidou quando você tinha um dispositivo intra-uterino (DIU/bobina) ou se você estiver tomando a pílula anticoncepcional somente com progesterona (mini pílula)
  • sua gravidez é resultado de concepção assistida, ou seja, fertilização in vitro (FIV) ou injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI)
  • Você fuma.

 

Como é diagnosticada?

A maioria das gestações ectópicas são suspeitas entre 6 e 10 semanas de gravidez. Às vezes, o diagnóstico é feito rapidamente. No entanto, se você está na fase inicial da gravidez, pode levar mais tempo (uma semana ou mais) para fazer um diagnóstico de uma gravidez ectópica.

Seu diagnóstico será feito com base no seguinte:

  • Consulta e exame. Seu médico ginecologista irá perguntar sobre seu histórico médico e os sintomas e examinará seu abdômen. Com o seu consentimento, seu médico pode também fazer um exame vaginal (interno). Você poderá levar alguém para apoiá-la durante o seu exame.
  • Teste de gravidez de urina. Se você já não teve um teste positivo de gravidez, será solicitada uma amostra de urina para que possa ser testada para a gravidez. Se o teste de gravidez der negativo, é muito improvável que seus sintomas sejam devido a uma gravidez ectópica.
  • A ultra-sonografia. Um exame transvaginal (onde uma sonda suavemente é inserida na vagina) é conhecido por ser mais preciso no diagnóstico de gravidez ectópica do que um ultra-som através da barriga (ultra-som transabdominal). Portanto, será oferecido um exame transvaginal para ajudar a identificar a localização exata da sua gravidez. No entanto, se você está na fase inicial da gravidez, pode ser difícil localizar a gravidez na digitalização e pode ser recomendado um outro ultra-som depois de alguns dias.
  • Exames de sangue. Um exame para o nível de hormônio da gravidez βhCG (gonadotrofina coriônica humana beta) ou um exame todos os dias para procurar mudanças no nível deste hormônio podem ajudar a dar um diagnóstico. Isto geralmente é verificado a cada 48 horas porque, com uma gravidez no útero, o nível de hormônio aumenta em 63% a cada 48 horas (conhecido como o 'tempo de duplicação'), enquanto que, com a gravidez ectópica, os níveis são geralmente mais baixos e sobem mais devagar ou ficam na mesma.
  • Laparoscopia. Se o diagnóstico ainda é incerto, uma operação sob anestesia geral chamada laparoscopia pode ser necessária. O médico utiliza um pequeno "telescópio" para olhar sua pélvis, fazendo um pequeno corte, geralmente no umbigo (botão da barriga). Isso também é chamado de cirurgia guiada. 

Se uma gravidez ectópica for confirmada, o tratamento pode proceder-se como parte da mesma operação. Isso seria discutido com você antes da cirurgia, a menos que a cirurgia seja necessária devido a uma situação de emergência aguda.

O que acontece quando uma gravidez ectópica é suspeita ou confirmada?

Quando uma gravidez ectópica é suspeita ou confirmada, seu médico irá discutir as opções de tratamento com você. As opções dependem geralmente de onde a gravidez ectópica está suspeita ou localizada.

Certifique-se de que você:

  • compreende plenamente todas as suas opções
  • peça informações se há alguma coisa que você não entende
  • aumente suas preocupações, se houver
  • compreende o que significa cada opção para sua fertilidade (consulte a seção abaixo sobre o que acontece com futuras gestações)
  • tenha tempo suficiente para tomar sua decisão.

 

Quais são as opções para o tratamento da gravidez ectópica tubária?

Como uma gravidez ectópica não pode levar ao nascimento de um bebê, todas as opções vão terminar com a gravidez, a fim de reduzir os riscos para a sua própria saúde.

Suas opções dependem de:

  • quantas semanas de gravidez você está
  • seus sintomas e quadro clínico
  • o nível de βhCG
  • seu resultado do exame
  • seu estado de fertilidade
  • sua saúde em geral
  • suas opiniões pessoais e preferências – isso deve envolver uma discussão sobre seus planos futuros de gravidez
  • as opções disponíveis no seu hospital local.

As opções de tratamento para gravidez ectópica tubária são listadas abaixo – nem todos podem ser adequados para você, então seu profissional de saúde deve guiá-la na tomada de uma decisão informada.

Tratamento expectante (esperar e ver)

A gravidez ectópica por vezes acaba por conta própria – semelhante a um aborto. Dependendo de sua situação, é possível monitorar os níveis de βhCG com exames de sangue todos os dias até estes voltarem ao normal. Embora você não tenha que ficar no hospital, você deve voltar ao hospital se tiver quaisquer sintomas adicionais. 

O tratamento expectante não é uma opção para todas as mulheres. Geralmente só é possível quando a gravidez está ainda nos estágios iniciais, e quando você tem apenas poucos ou nenhum sintoma. Taxas de sucesso com o tratamento expectante são altamente variáveis e variam de 30% a 100%. Isto depende principalmente dos seus níveis de hormônio de gravidez, com níveis de βhCG elevados, associados a uma menor chance de sucesso.

Tratamento médico

Em determinadas circunstâncias, uma gravidez ectópica pode ser tratada com medicação (drogas). A tuba uterina não é removida. Uma droga (metotrexato) é dada como uma injeção – Isto impede a gravidez ectópica de crescer e a gravidez ectópica desaparece gradualmente.

A maioria das mulheres só precisa de uma injeção de metotrexato para tratamento. No entanto, 15 em cada 100 mulheres (15%) precisam ter uma segunda injeção de metotrexato. Se sua gravidez está além da fase inicial ou o nível de βhCG é elevado, o metotrexato é menos provável de ter êxito. Sete em cada 100 mulheres (7%) vão precisar de cirurgia mesmo após tratamento médico.

Muitas mulheres experimentam um pouco de dor nos primeiros dias depois de tomar o metotrexato, mas isso geralmente se resolve com paracetamol ou algo semelhante para alívio da dor. Embora se saiba que a longo prazo do tratamento com metotrexato para outras doenças possa causar efeitos colaterais significativos, isto raramente é o caso com uma ou duas injeções, usadas para tratar a gravidez ectópica. Tratamento de gravidez ectópica com metotrexato não é conhecido por afetar a capacidade de seus ovários de produzir óvulos.

Você pode precisar ficar no hospital durante a noite e então voltar para a clínica ou ala alguns dias mais tarde. Você deverá retornar mais cedo se você tiver quaisquer sintomas. É muito importante que você vá para suas consultas de acompanhamento, até que seus níveis de hormônio da gravidez voltem ao normal. Também é aconselhável esperar por 3 meses após a injeção, antes de você tentar outra gravidez.

Tratamento cirúrgico

Uma operação para remover a gravidez ectópica envolverá uma anestesia geral.

A cirurgia será:

  • Laparoscopia (conhecida como cirurgia de video). Sua estadia no hospital é mais curta (24-36 horas) e a recuperação física é mais rápida do que após a cirurgia aberta. A laparoscopia pode não ser uma opção para algumas mulheres, e seu médico irá discutir isso com você.
  • Cirurgia aberta (conhecida como uma laparotomia). É feita através de um corte maior no seu abdômen e pode ser necessária se houver suspeita de hemorragia interna grave. Você vai precisar ficar no hospital por 2-4 dias. Normalmente demora cerca de 4-6 semanas para se recuperar.

O objetivo da cirurgia é remover a gravidez ectópica. O tipo de operação que você tem vai depender de seus desejos ou planos para uma futura gravidez e o que seu cirurgião encontrar durante a operação (laparoscopia).

Para ter a melhor chance de uma gravidez futura dentro de seu útero e para reduzir o risco de ter outra gravidez ectópica, você geralmente será aconselhada a ter sua trompa de Falópio afetada removida (isso é conhecido como uma salpingectomia).

Se você já tem apenas uma trompa de Falópio ou sua outra trompa não parece saudável, suas chances de engravidar já estão afetadas. Nesta circunstância, você pode ser aconselhada a ter uma operação diferente (conhecida como uma salpingectomia) que visa remover a gravidez sem remover a trompa. Ela carrega um risco maior de uma futura gravidez ectópica, mas significa que você é ainda capaz de ter uma gravidez no útero no futuro. Você será aconselhada a fazer testes de sangue para verificar seus níveis de hormônio da gravidez após a salpingectomia como parte do acompanhamento. Algumas mulheres podem precisar de mais tratamento médico ou outra operação para remover o tubo, mais tarde, se a gravidez não foi completamente removida durante a salpingectomia. A decisão de realizar a salpingectomia ou salpingotomia às vezes só pode efetuar-se durante a laparoscopia, sob anestesia. Há riscos associados com qualquer operação: da cirurgia em si e da utilização de um anestésico. Seu cirurgião e anestesista irão discutir estes riscos com você.

Quais são as opções para o tratamento de gravidez ectópica não-tubária?

O tratamento de uma gravidez ectópica não-tubária depende de onde a gravidez está crescendo (refere-se aos vários locais de gravidez ectópica não-tubária no folheto). Seu médico irá discutir as opções de tratamento disponíveis com você com base em uma série de fatores, incluindo a localização da gravidez ectópica, os níveis de hormônio βhCG da gravidez em seu sangue e o relatório de verificação de ultra-som.

As opções de tratamento podem incluir tratamento expectante, tratamento com metotrexato ou a intervenção cirúrgica.

Em situações de emergência

Se a gravidez tubária ou não-tubária estourou, a cirurgia de emergência é necessária para parar o sangramento. Esta operação é muitas vezes um salva-vidas. Isso é feito removendo a ruptura da trompa de Falopio e a gravidez. Seus médicos precisarão agir rapidamente e isso pode significar que eles têm que tomar uma decisão em seu nome para operar. Nessa situação você pode precisar de uma transfusão de sangue. 

 

O que acontece com seus restos de gravidez?

Para confirmar que você teve uma gravidez ectópica, o tecido removido no momento da cirurgia é enviado para análise em laboratório. A equipe de saúde irá discutir com você (e seu parceiro) as opções em torno do que acontece com seus restos de gravidez depois.

O que acontece depois?

Consultas de acompanhamento

É importante que você vá para suas consultas de acompanhamento. Os exames e testes que você precisa vão depender do tratamento que você teve. Se você fez o tratamento com metotrexato, você deve evitar engravidar pelo menos 3 meses após a injeção.

Como me sentirei depois?

O impacto de uma gravidez ectópica pode ser muito significativo. Pode significar chegar a um acordo à respeito da perda de seu bebê, com o potencial impacto sobre a fertilidade futura ou com a percepção de que você poderia ter perdido a sua vida.

Cada mulher lida à sua maneira. Uma gravidez ectópica é uma experiência muito pessoal. Esta experiência pode afetar seu parceiro e outros em sua família, bem como amigos íntimos.

Se você sentir que você não está lidando bem ou não voltar ao normal, você deve falar com seu médico ou outro membro da equipe de saúde. 

É importante lembrar que a gravidez não poderia ter continuado sem causar um risco grave para sua saúde.

Antes de tentar ter outro bebê, é importante esperar até que você se sinta preparada emocionalmente e fisicamente. Por mais traumática que tenha sido a sua experiência de uma gravidez ectópica, pode ajudar saber que a probabilidade de uma gravidez normal da próxima vez é muito maior do que de ter outra gravidez ectópica.

Quanto a futuras gestações?

As chances de ter uma gravidez bem sucedida no futuro são boas. Mesmo se você tiver apenas uma trompa de Falópio, suas chances de conceber são apenas ligeiramente reduzidas.

Para a maioria das mulheres, uma gravidez ectópica é um evento 'único'. No entanto, sua oportunidade total de ter outra gravidez ectópica é maior e é ao redor 7-10 em cada 100 (de 7 – 10%), em comparação com 1 em cada 90 (pouco mais de 1%) (trabalho na população em geral no Reino Unido).

Você deve procurar aconselhamento precoce de um profissional de saúde quando você souber que você está grávida. Pode ser recomendada uma ultra-sonografia entre 6 e 8 semanas para confirmar que a gravidez está se desenvolvendo no útero.

Se você não quer engravidar, procure aconselhamento adicional da sua clínica médica ou planejamento familiar, conforme algumas formas de contracepção podem ser mais apropriadas após uma gravidez ectópica.

 

Pontos-chave

  • Uma gravidez ectópica é uma gravidez fora do útero (ventre).
  • No Reino Unido, 1 em cada 90 gravidezes (pouco mais de 1%) é uma gravidez ectópica.
  • A maioria das gestações ectópicas se desenvolvem em uma das trompas de Falópio (gravidez tubária), mas em casos raros, elas podem se desenvolver em outros locais.
  • O diagnóstico é feito com base em seus sintomas, exame físico, exames de sangue, ultra-som e outros testes conforme apropriado.
  • As opções de tratamento variam dependendo da localização da gravidez ectópica e dos resultados dos seus exames.
gravidezectópicaO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categories: Medical

Endometriose

Fri, 04/13/2018 - 11:12

Esta informação é para você, se você deseja saber mais sobre endometriose. Também pode ser útil se você é o parceiro ou parente de alguém com endometriose. Já falamos de endometriose antes aqui, sendo assunto recorrente por estar muito associado às dificuldades para engravidar.

O que é endometriose?

A endometriose ocorre quando as células que normalmente revestem o útero (endométrio) são encontradas em outros lugares, geralmente na pelve em torno do útero, ovários e trompas de Falópio. Não é câncer e não é infecciosa.

É uma condição muito comum, que afeta entre 2 a 10 mulheres em cada 100. Você estará mais propensa a desenvolver endometriose, se sua mãe ou irmã também tiveram.

Endometriose geralmente afeta mulheres durante seus anos reprodutivos. É uma condição de longo prazo que pode ter um impacto significativo sobre o seu estado geral de saúde física, bem-estar emocional e rotina diária.

Quais são os sintomas?

Os sintomas comuns incluem dor pélvica e menstruações dolorosas, às vezes irregulares ou pesadas. Isso pode causar dor durante ou depois do sexo e pode levar a problemas de fertilidade. Você também pode ter dor relacionada com seu intestino, bexiga, a parte inferior das costas ou partes superiores das pernas e experimentar fadiga a longo prazo. Algumas mulheres com endometriose não têm quaisquer sintomas, são assintomaticas.

A endometriose pode causar dor que ocorre em um padrão regular, tornando-se pior antes e durante o seu período. Algumas mulheres experimentam dor o tempo todo, mas para outras ela pode ir e vir. A dor pode melhorar durante a gravidez e às vezes pode desaparecer sem qualquer tratamento. Para obter mais informações, consulte as informações de pacientes RCOG Dor pélvica crônica (longo prazo).

O que causa a endometriose?

Não se sabe a causa exata da endometriose. Acredita-se que aconteça quando as células que revestem o útero são migram para a pelve através das trompas de Falópio durante a menstruação. Estas células respondem aos seus hormônios e sangram. Ao contrário das células no útero, que deixam o seu corpo através da vagina, este sangue não tem para onde fugir. Isso pode causar dor, inflamação e possivelmente danificar seus órgãos pélvicos.

Endometriose pode ser encontrada:

  • nos ovários, onde pode formar cistos (muitas vezes referidos como 'cistos de chocolate')
  • dentro ou fora das trompas de Falópio
  • sobre, atrás ou ao redor do útero
  • na área entre a vagina e o reto
  • no peritôneo (revestimento da pelve e do abdômen).

Endometriose pode também ocorrer dentro da parede muscular do útero (Adenomiose) e, ocasionalmente, no intestino e/ou na bexiga. Ela às vezes pode ser encontrada em outras partes do corpo, mas isso é raro.

Como ela é diagnosticada?

A endometriose pode ser uma condição difícil de diagnosticar. Isso ocorre porque:

  • os sintomas da endometriose variam muito
  • os sintomas são comuns e podem ser semelhantes à dor causada por outras doenças como a síndrome do intestino irritável (SII) ou doença inflamatória pélvica (DIP); para mais informações, consulte a informação do paciente RCOG Doença inflamatória pélvica aguda: Exames e tratamento
  • mulheres diferentes têm diferentes sintomas
  • algumas mulheres não têm sintomas.

O que vai acontecer se eu for consultar um ginecologista?

Você será perguntada:

  • sobre qualquer dor que você tiver e se ela tem um padrão ou se está relacionada a qualquer coisa, em particular suas menstruações
  • sobre suas menstruações – elas são dolorosas e quão pesadas elas são?
  • Se você tem qualquer dor ou desconforto durante o sexo
  • sobre problemas com seus intestinos no momento da sua menstruação.

 

O ginecologista pode realizar um exame interno com o seu consentimento. Isso ajuda a localizar a dor pélvica e o médico pode sentir por todas as protuberâncias ou áreas sensíveis. Você será capaz de discutir quaisquer preocupações e terá a oportunidade de fazer outras perguntas.

Quais exames podem ser solicitados?

Os exames incluem geralmente uma ecografia pélvica. Esta pode ser um exame transvaginal para verificar o útero e os ovários. Pode mostrar se há um cisto endometriótico (chocolate) nos ovários ou pode sugerir endometriose entre a vagina e o reto.

Pode ser indicada uma laparoscopia, que é a única maneira de obter um diagnóstico definitivo. Ela é realizada sob anestesia geral. Pequenos cortes são feitos no abdômen e um telescópio é inserido para olhar sua pélvis. Você pode ter uma biópsia para confirmar o diagnóstico e imagens podem ser tomadas para seus registros médicos.

O médico pode sugerir tratar a endometriose no momento da sua primeira laparoscopia, por remoção de cistos nos ovários ou pelo tratamento de todas as áreas no revestimento da sua pélvis. Isto pode evitar uma segunda operação. Às vezes, no entanto, a extensão da endometriose encontrada significa que você pode precisar de outros exames ou tratamento.

O procedimento, incluindo todos os riscos e os benefícios, será discutido com você. Depois de sua operação você será informada sobre os resultados. Muitas vezes, você pode ir para casa no mesmo dia após uma laparoscopia.

Uma ressonância pode ser sugerida se a condição parece ser avançada.

Quais são as minhas opções para o tratamento?

As opções de tratamento incluem aquelas listadas abaixo.

Medicação de alívio da dor

Isto atua reduzindo a inflamação. Existem diversas maneiras de você ajudar a aliviar a sua dor. Isto pode variar de remédios sem receita para medicamentos prescritos pelo seu profissional de saúde. Em situações mais graves, você pode ser encaminhado para uma equipe especializada em gerenciamento de dor.

Tratamentos hormonais

Estes tratamentos reduzem ou impedem a ovulação (a liberação de um óvulo do ovário) e assim permitem que a endometriose diminua ou desapareça, diminuindo a estimulação hormonal.

Alguns tratamentos hormonais que podem ser oferecidos são anticoncepcionais e também irão impedir você de engravidar. Eles incluem:

  • a pílula contraceptiva oral combinada (COC) ou adesivo dado continuamente sem a pausa normal livre de comprimidos; Isto geralmente impede a ovulação e temporariamente cessa suas menstruações ou faz suas menstruações serem mais leves e menos dolorosas
  • um sistema intra-uterino (DIU/Mirena®), que ajuda a reduzir a dor e torna as menstruações mais leves; algumas mulheres que utilizam um IUS chegam a ficar sem menstruações
  • progesterona na forma de injeção, a mini pílula ou o implante contraceptivo.

 

Outros tratamentos hormonais estão disponíveis, mas estes não são contraceptivos. Portanto, se você não quiser engravidar, você precisará usar um contraceptivo também. Tratamentos não-contraceptivos hormonais incluem:

  • progesterona na forma de comprimidos
  • GnRHa (agonistas de hormônio liberador de gonadotrofina), que são dados como injeções, implantes ou um spray nasal. Eles são muito eficazes, mas podem causar os sintomas da menopausa, como fogachos e também são conhecidos por reduzir a densidade óssea. Para ajudar a reduzir esses efeitos colaterais e perda óssea, pode ser oferecida a terapia de 'reposição' sob a forma de terapia de reposição hormonal (TRH).

Cirurgia

Cirurgia pode tratar ou remover áreas de endometriose. A cirurgia recomendada vai depender de onde é a endometriose e de quão extensa ela é. Isso pode ser feito quando é realizado o diagnóstico ou pode ser oferecido mais tarde. Taxas de sucesso variam e você pode precisar de mais cirurgia. Seu ginecologista irá discutir as opções com você totalmente.

Operações possíveis incluem:

  • cirurgia laparoscópica – quando focos de endometriose são destruídos ou removidos
  • laparotomia – para os casos mais graves. Isto é uma grande operação que envolve um corte no abdome, geralmente ao longo da linha do biquini. Às vezes, outros cirurgiões, como especialistas do intestino, serão envolvidos. Se necessário, uma laparotomia pode ser usada para remover os ovários com ou sem realizar uma histerectomia (remoção do útero). Você não será capaz de ter filhos depois de uma histerectomia. O alívio da dor a longo prazo é mais provável se os ovários são removidos. No entanto, por causa dos riscos de saúde associados com a remoção dos ovários, seu médico irá discutir isso e a possível necessidade de terapia de reposição hormonal (TRH) com você.

Se você tem endometriose severa, uma equipe de especialistas, que poderia incluir um ginecologista, um cirurgião de intestino, um radiologista e especialistas em gerenciamento de dor podem discutir suas opções de tratamento. Você pode ser encaminhada para um centro especializado de endometriose.

Tratamento de fertilidade

Engravidar pode ser um problema para algumas mulheres com endometriose. Seu ginecologista pode lhe fornecer informações sobre suas opções.

Outras opções

Algumas mulheres têm achado as seguintes medidas úteis:

  • o exercício, que pode melhorar o seu bem-estar e pode ajudar a melhorar os sintomas da endometriose
  • cortar certos alimentos como produtos lácteos ou trigo da dieta
  • terapias psicológicas e aconselhamento.
  • Terapias complementares

Embora haja somente uma evidência limitada para a sua eficácia, algumas mulheres podem achar que as seguintes terapias ajudam a reduzir a dor e melhoram sua qualidade de vida:

  • reflexologia
  • estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
  • acupuntura
  • suplementos de vitamina B1 e magnésio
  • medicina tradicional chinesa
  • tratamentos com ervas
  • homeopatia                        

 

Pontos-chave

  • Endometriose ocorre quando as células que normalmente são da linha do útero são encontradas em outro lugar, geralmente na pelve em torno do útero, ovários e trompas de Falópio.
  • Não é câncer e não é infecciosa.
  • Endometriose pode às vezes ser uma condição difícil de diagnosticar.
  • Sintomas comuns incluem dor pélvica e menstruações dolorosas, às vezes irregulares ou pesadas. Pode causar dor durante ou depois do sexo e pode levar a problemas de fertilidade.
  • Opções de tratamento incluem medicamentos de alívio da dor, hormônios e/ou cirurgia.
endometrioseO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categories: Medical

Esterilização masculina e feminina (laqueadura/vasectomia)

Sun, 03/18/2018 - 17:48
Esterilização

Laqueadura/Vasectomia/Contracepção

A esterilização funciona evitando o encontro do óvulo e do espermatozoide. Na esterilização feminina (oclusão tubária/laqueadura) isto é feito por corte, selagem ou bloqueio das trompas de falópio que carregam um óvulo do ovário para o útero (ventre). Na esterilização masculina (vasectomia), isso é feito por corte e selagem ou amarrando o canal deferente (o tubo que transporta o esperma dos testículos para o pênis). Isso é chamado de vasectomia.

Esterilização é um método permanente de contracepção, apropriado para pessoas que tem certeza absoluta de que nunca mais vão querer crianças ou que não querem mais filhos. Você pode querer saber mais sobre contracepção reversível (Long-acting reversible contraceptives - LARC) que é tão eficaz quanto a esterilização, mas reversível. Pergunte a seu médico ou enfermeiro para mais informações sobre LARC.

 

A esterilização é eficaz?

  • Esterilização masculina (vasectomia)
    • Cerca de uma em cada 2.000 esterilizações masculinas falharam.
  • Esterilização feminina (oclusão tubária)
    • A taxa de falha total é de cerca de 1 em 200.
    • A pesquisa sugere que, quando a esterilização é feita usando um tipo de grampo, conhecido como o Filshie clip, a taxa de falha é 2-3 em cada 1000, em 10 anos.
    • A evidência disponível sugere que a taxa de falha do Essure  é de cerca de 1 em cada 500, por mais de cinco anos.
    • Há um risco de que a esterilização não vai funcionar.
    • Os tubos que transportam o esperma nos homens e os óvulos em mulheres podem recuperar-se após a esterilização. Isso pode acontecer imediatamente ou alguns anos depois que a operação foi realizada.

 

Quais são as vantagens da esterilização?

Depois da esterilização ter sido feita... você não tem de usar outros métodos anticoncepcionais nunca mais.

Quais são as desvantagens da esterilização?

  • Os tubos podem reanastomosar (voltar) e você pode se tornar fértil novamente, mas isto não é comum.
  • A esterilização não pode ser facilmente revertida.
  • A esterilização não protege você contra doenças sexualmente transmissíveis.
  • Demora entre quatro semanas até pelo menos três meses para a esterilização ser eficaz, dependendo do método usado.

Qualquer um pode ser esterilizado?

Esterilização é para pessoas que tem a certeza de que elas não querem mais filhos ou filhas. Você não deve decidir esterilizar se você ou seu parceiro não estiver completamente certo ou se você está sob algum estresse, por exemplo, após um parto, aborto, crise na família ou no relacionamento. É uma decisão muito mais definitiva do que esses problemas temporários.

Pesquisas mostram que mais mulheres e homens se arrependem da esterilização se eles foram esterilizados quando estavam abaixo dos 30 anos, não tiveram filhos ou não estavam em um relacionamento. Por causa disto, pessoas jovens ou solteiras devem receber aconselhamento extra.

Onde posso ir para receber aconselhamento sobre a esterilização?

Você pode ir ao seu clínico geral, ginecologista, ou urologista. 

Que informação devo receber antes de decidir ser esterilizada?

Você deve obter todas as informações e aconselhamento se você quer ser esterilizada. Isso lhe dá uma chance de falar sobre a operação em detalhes e quaisquer preocupações que você possa ter. Você deve saber sobre:

  • Outra contracepção reversível altamente eficaz de ação prolongada (LARC)
  • As taxas de fracasso da esterilização, de quaisquer possíveis complicações e dificuldades de reversão
  • A necessidade de usar contracepção até a esterilização foi confirmada como um sucesso.
  • Você terá que assinar um termo de consentimento.

Preciso de permissão do meu parceiro?

Pela lei você não precisa de permissão do seu parceiro, mas alguns médicos preferem que ambos os parceiros concordem com uma esterilização após informação e aconselhamento.

A esterilização pode ser revertida?

A esterilização destina-se a ser permanente. Existem cirurgias de reversão (reversão da vasectomia e reanastomose tubária), mas elas não são sempre bem sucedidas. O sucesso vai depender de como e quando você foi esterilizada.  A esterilização histeroscópica (Essure) não pode ser revertida.

A esterilização afeta seu desejo sexual?

A esterilização não afeta seus hormônios. Portanto, seu desejo sexual e o prazer do sexo não devem ser afetados.

A esterilização masculina (vasectomia)

Como é feita a vasectomia?

Você receberá uma anestesia local. Para atingir os tubos, o médico fará uma pequena punção, conhecida como método sem-bisturi, ou um pequeno corte na pele do escroto. O médico então vai cortar os tubos e fechar as pontas amarrando-as ou selando-as com calor. Às vezes, um pequeno pedaço dos tubos é removido quando é cortado. A abertura em seu escroto será muito pequena e talvez nem precise de quaisquer pontos. Se o fizer, serão usadas suturas dissolvíveis ou fita cirúrgica. A operação leva cerca de 10 a 15 minutos e pode ser feita em hospital-dia, hospital ou sala de procedimento ambulatorial.

Como me sentirei depois da operação?

Seu escroto pode ficar inchado e dolorido. Tomar medicamentos para o alívio da dor e vestir cuecas apertadas ou de suporte atlético, para sustentar seu escroto, dia e noite durante os primeiros dias vai ajudar a reduzir qualquer desconforto. O médico ou o enfermeiro deve lhe dar informações sobre como cuidar de si mesmo nas semanas que seguem a sua vasectomia.

Há sérios riscos ou complicações?

A pesquisa mostra que não há nenhum risco de saúde grave conhecido a longo prazo causado por fazer uma vasectomia.

Ocasionalmente, alguns homens têm uma infecção, um grande inchaço ou sangramento. Neste caso, consulte o seu urologista assim que possível. Às vezes o esperma pode vazar para fora do tubo e se acumular no tecido circundante. Isso pode causar inflamação  e dor imediatamente, ou algumas semanas ou meses mais tarde. Se isso acontecer, pode ser tratado.

Um pequeno número de homens experimentam dor contínua em seus testículos, escroto, pênis ou abdômen inferior. Isso é conhecido como dor crônica pós-vasectomia ou CPVP. Tratamentos medicamentosos podem ser eficazes em aliviar a dor e alguns homens a mais requerem cirurgia. Alívio permanente nem sempre é alcançado.

A maioria dos homens ao fazer vasectomia será com anestésico local, muito raramente anestesia geral é necessária. Todas as operações usando anestesia geral apresentam alguns riscos, mas problemas graves são raros.

Quando a vasectomia será eficaz?

Em cerca de 12 semanas após a operação, você deverá fazer um exame de sêmen para ver se os espermatozoides desapareceram.

Às vezes mais de um teste é necessário. Você pode fazer sexo entre dois e sete dias após a operação, mas você só pode confiar na esterilização masculina para contracepção depois que falarem que o exame de sêmen deu negativo, ou seja, precisa continuar fazendo a prevenção com outros métodos.

Após a operação, você precisa usar contracepção alternativa até não sobrar nenhum esperma nos tubos. O tempo que demora para o limpar os tubos de esperma varia de homem para homem.

Esterilização feminina (oclusão tubária)

Como é feita a esterilização feminina?

Existem várias maneiras de bloquear as trompas de Falópio: amarrar, cortar e remover um pequeno pedaço de tubo, por selagem, ou aplicação de grampos ou anéis. Há duas maneiras principais de se chegar às trompas de Falópio – por laparoscopia ou por mini laparotomia.

O tempo que precisa ficar no hospital depois da esterilização depende da anestesia e do método utilizado. Poderá ser feito anestesia geral, local ou regional.

Para uma laparoscopia, um médico irá fazer um pequeno corte e inserir um laparoscópio, que permite ao médico ver claramente seus órgãos reprodutivos. O médico irá selar ou bloquear suas trompas de Falópio, normalmente com clipes ou ocasionalmente com anéis.

Para uma mini laparotomia, um médico vai fazer um pequeno corte no abdome, geralmente logo abaixo da linha do biquíni, para alcançar suas trompas de Falópio. Fará anestesia geral e passará uns dias no hospital.

Como me sentirei depois da operação?

Se você passou por anestesia geral, pode se sentir um pouco desconfortável e mal estar por alguns dias.

Isto não é incomum, e pode ter que se afastar por alguns dias. Pode também ter um ligeiro sangramento vaginal e dor. Se isso piorar, consulte seu médico. O médico deve dizer qual método de esterilização foi usado, se houver alguma complicação e como cuidar de si mesma nas semanas que seguem a sua esterilização.

O que é Essure?

Essure é um método de esterilização feminina que não envolve nenhum corte. É conhecido como esterilização histeroscópica.

Um histeroscópio é inserido na vagina e no colo do útero para permitir que uma bobina pequena de titânio (metal) seja colocada em ambas as trompas de Falópio. O tecido do corpo cresce em torno da bobina e bloqueia a tuba uterina. Geralmente não requer anestesia e leva cerca de 10 minutos. A maioria das mulheres é capaz de retornar às suas atividades normais no dia seguinte. Este método não é reversível. Depois de três meses você vai precisar de um raio-x ou ultra-som para verificar que as trompas de Falópio estão bloqueadas.

A esterilização afetará minha menstruação?

Seus ovários, útero e colo do útero são deixados no lugar e seus hormônios não são afetados, portanto você ainda vai ovular (liberar um óvulo a cada mês), mas ele será absorvido naturalmente pelo seu corpo.

Sua menstruação vai continuar a ser tão regular quanto estava antes da esterilização. Ocasionalmente, algumas mulheres acham que suas menstruações se tornam mais pesadas.

Isto é geralmente porque elas pararam de usar contracepção hormonal, o que pode ter amenizado suas menstruações anteriormente.

Há sérios riscos ou complicações?

Se houver falha da esterilização feminina e você engravidar, há um pequeno aumento do risco de gravidez ectópica. Uma gravidez ectópica desenvolve-se fora de seu útero, geralmente no tubo de Falópio.

Você deve procurar conselho médico imediatamente se achar que pode estar grávida ou se tiver menstruação leve ou atrasada, sangramento vaginal incomum ou se tiver dor súbita ou incomum em seu abdômen inferior.

Todas as operações implicam em algum risco, mas o risco de complicações sérias é baixo.

Quando a esterilização feminina é eficaz?

Você vai precisar usar contracepção até sua operação e pelo menos sete dias depois.

Após a esterilização histeroscópica você precisará usar contracepção durante pelo menos três meses. 

Onde posso obter mais informações e conselhos?

O ginecologista é o médico especialista no assunto. Marque sua consulta.

 

Contracepção de emergência

Se você teve relações sexuais sem contracepção, ou pensa que o seu método pode ter falhado, existem diferentes tipos de contracepção de emergência que você pode usar.

Uma pílula contraceptiva de emergência contendo levonorgestrel – pode ser tomada até três dias (72 horas) depois do sexo. Quanto mais cedo é tomada depois do sexo, mais eficaz. Disponível com uma prescrição ou você pode comprar de uma farmácia. Existem marcas diferentes, mas todas elas funcionam da mesma maneira.

O DIU - pode ser colocado cinco dias após o sexo, ou até cinco dias após a primeira vez que você poderia ter liberado um óvulo (ovulação). Pergunte a seu médico sobre a obtenção de pílulas de emergência com antecedência, no caso de você precisar delas.

Infecções sexualmente transmissíveis

A maioria dos métodos de contracepção não protegem de infecções sexualmente transmissíveis.

Preservativos masculinos e femininos, quando usados corretamente e consistentemente podem ajudar a proteger contra infecções sexualmente transmissíveis. Se possível, evite o uso de preservativos lubrificados com espermicidas. O espermicida comumente contém uma substância química chamada Nonoxinol 9, que não protege contra HIV e pode até aumentar o risco de infecção.

 

esterilizaçãoprevençãoO que você achou deste conteúdo?:  0 No votes yet
Categories: Medical