Cirurgia Vascular

Subscribe to Cirurgia Vascular feed
Updated: 2 hours 20 min ago

Espaço Vascular

Fri, 03/17/2017 - 10:29

A Vascular.pro ocupa o espaço vascular do Instituto Amato, de modo que a nossa equipe de cirurgiões vasculares, angiorradiologistas, angiologistas e ecografistas vasculares atendem ambulatorialmente e cirurgicamente no Instituto Amato. O Instituto é amplo e atende diversas outras especialidades, oferecendo suporte multidisciplinar para seus pacientes. A junta médica permite a discussão e acompanhamento de casos complexos por múltiplos profissionais.
Exames minimamante invasivos como:

  • Pletismografia
  • Ecodoppler vascular (duplex scan/ultrassom colorido com doppler)
  • Flebovisualização
  • e outros

E cirurgias como:

E procedimentos como:

São realizados no espaço vascular que consiste em sala de atendimento, 2 salas de procedimento e exame, além de 2 salas operatórias totalmente equipadas.

Tags: vascular
Categories: Medical

Exames necessários na avaliação de varizes

Tue, 02/28/2017 - 10:50

De acordo com o dr. Alexandre Amato (CRM 108.651), os exames mais solicitados dentro do Instituto, além dos essenciais clínico e físico, é o ecodoppler venoso, a pletismografia e a fleboscopia. Todos estes procedimentos visam checar como está a saúde vascular do paciente. Assista e saiba mais!

 

[Transcrição]   Sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular, da equipe do Instituto Amato. E hoje nós vamos falar um pouquinho sobre os exames necessários na avaliação do paciente com varizes. O exame clínico com a conversa com o paciente, o exame físico é essencial, sem examinar o paciente é impossível avaliar a gravidade da doença.  Os exames subsidiários, os exames além do exame clínico, o mais frequentem-te solicitado é o ecodoppler venoso ou ultrassom com doppler das veias dos membros inferiores, esse é um exame que não é invasivo, que não doe e que traz muitas informações anatômicas e também funcionais das veias. Outros exames podem ser, pletismografia que é um exame muito útil atualmente que informa não só a existência ou não da insuficiência venosa, mas também como a eficácia da musculatura da panturrilha para bombear o sangue de volta para cima. Nós temos também as fleboscopias então, soa equipamentos que projetam as veias em realidade aumentada sobre a superfície da pele evidenciando as veias que estão doentes. Então atualmente esses são os exames mais realizados, tanto no diagnostico, tanto no planejamento terapêutico.   Tags: videovenosoexame
Categories: Medical

Escleroterapia

Tue, 02/28/2017 - 10:38

Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651) explica sobre a escleroterapia, que é um procedimento médico realizado para o tratamento de vasos sanguineos dilatados ou mal formações, ou seja, varizes nos mais diversos tamanhos. Na maior parte dos casos o paciente tem o objetivo estético, porém é utilizado como tratamento da doença venosa. Assista ao vídeo e saiba mais!

[Transcrição]

Eu sou professor doutor Alexandre Amato, eu sou cirurgia vascular do Instituto Amato. E hoje nosso tema é, escleroterapia. A escleroterapia é uma parte do projeto de tratamento de varizes, significa o endurecimento e o tratamento que faz desaparecer as veias. Existem várias técnicas de escleroterapia, desde injeção de substancias liquidas que promovem uma trombose no local e consequentemente a fibrose e desaparecimento dessa veia, como outras técnicas como o laser, a espuma, a radiofrequência, a radioablação, normalmente a associação dessas técnicas apresentam resultados melhores, cada técnica é adequada para cada tipo de veia. Obviamente tendo a doença das varizes elas devem ser tratadas antes de se pensar na parte estética então a escleroterapia faz parte de um contexto maior sendo uma das ferramentas dentro do tratamento de varizes. Ultimamente a associação do laser com a escleroterapia com glicose tem mostrado bons resultados, por que? Nós utilizamos duas técnicas com baixo nível de complicação e essas técnicas associadas promovem um aumento na resolutividade então com menores riscos. Obviamente, as outras técnicas a espuma, a glicose unicamente, a radiofrequência e outros continuam tendo grande aplicação dentro do contexto do tratamento dos vasinhos.    Tags: videoescleroterapiavenoso
Categories: Medical

Aneurisma da Aorta Abdominal

Thu, 01/05/2017 - 16:40

A você paciente, nossos cumprimentos. Se está lendo este pequeno texto, significa que está buscando informação de qualidade em cirurgia vascular. Você chegou ao Vascular.Pro, equipe médica especializada em cirurgia Vascular, Angiologia, Endovascular e Ecografia Vascular.

Introdução:

A Aorta é a maior artéria do nosso corpo, recebe todo o sangue que o coração bombeia a cada batimento e o distribui para todos os órgãos e tecidos do nosso corpo. Daí a sua importância. Para isto, entretanto este órgão precisa se acomodar a uma grande pressão e inúmeras forças que agem em seu interior.

Instalação da doença:

Após longos anos recebendo essa pressão, a aorta pode se fragilizar e ocorrer mudanças em sua estrutura, vindo a se dilatar como um balão. Quando esse aumento do diâmetro é superior a metade do tamanho normal ou esperado para aquela determinada região, isto é chamado aneurisma. Ocorre geralmente após os 50 anos e está muito ligado à outros problemas de saúde como a hipertensão arterial, o tabagismo e também existe um componente familiar muito importante. Irmãos ou filhos de portadores desta doença tem um risco oito vezes maior de desenvolvê-la.

O primeiro grande problema reside no fato da dilatação da aorta ser acompanhada de um enfraquecimento de sua estrutura, o que juntamente e com à alta pressão interna, aumento o risco de uma ruptura. Nesse caso, o sangramento geralmente é muito grande. Oito em cada dez pacientes com uma ruptura da aorta não sobrevivem devido ao sangramento interno. Uma parte da aorta, seu início, está localizada no tórax, e sua porção mais distal no abdome. A grande maioria dos aneurismas da aorta ocorre na sua porção abdominal.

Diagnóstico:

O segundo problema consiste no fato do aneurisma se instalar silenciosamente, não apresentando sintomas até geralmente estar muito grande. O diagnóstico costuma ser ao acaso, durante o exame abdominal realizado por um médico devido a outros motivos (consulta de rotina, check-up) ou em consequência de um exame de imagem (ultrassom, tomografia ou ressonância) solicitado para investigação de outras doenças. Alguns fatores podem dificultar a identificação de um aumento da aorta no exame físico, o mais frequente destes é o excesso de peso. Uma vez feita a suspeita de um aneurisma, um exame de imagem específico se faz mandatório. O ultrassom abdominal (que pode incluir o Doppler) geralmente é suficiente para confirmar ou descartar a presença da dilatação na aorta, fornecendo os dados principais como diâmetro e extensão do aneurisma no abdome. Quando o aneurisma for grande ou extenso demais, geralmente exames com maior grau de definição como a angiotomografia ou a angiorressonância podem fornecer mais detalhes que terão grande relevância na decisão e planejamento de uma eventual correção dessa doença.

Qual o tratamento do AAA?

O tratamento do aneurisma da aorta depende de alguns aspectos, mas o principal é o seu diâmetro no ponto de maior dilatação. De forma geral, no sexo masculino um diâmetro maior que 5,5 cm e no feminino maior que 5,0 cm indicam a necessidade da eliminação desse aneurisma. Aneurismas menores que 4 cm, de forma geral, podem ser apenas vigiados por meio de um ultrassom abdominal anual ou semestral, por terem um risco de ruptura mais baixo. Faz parte do acompanhamento clínico dos portadores de aneurismas pequenos o controle dos fatores de risco como a hipertensão, o tabagismo e os níveis elevados de colesterol que podem de alguma forma interferir, acelerando o crescimento e aumentando o risco de ruptura do aneurisma. A correção de um aneurisma não é isenta de complicações – 1 a 6% dos pacientes podem apresentar problemas graves durante o procedimento de correção e até morte. Os principais agravantes dessa situação são doença cardíaca prévia, mal funcionamento dos rins, doença pulmonar (que pode ser decorrente do cigarro) e a idade avançada. Entretanto como a mortalidade passa dos 80% no caso de uma ruptura, e acima dos diâmetros limite previamente citadas há uma chance maior de 40% ao ano de ruptura, é fácil perceber uma clara vantagem na realização dessa correção fora de uma situação de urgência. Essa correção pode ser feita basicamente de duas formas, O método conhecido a mais tempo é a chamada cirurgia convencional, onde utilizando uma incisão abdominal (um corte na parede abdominal), faz-se a troca do segmento doente por uma prótese artificial. Como vantagens deste método, podemos citar a durabilidade no médio e longo prazo e a menor necessidade de vigilância do procedimento, A segunda forma de intervenção, mais recente, ocorre por via endovascular onde através do cateterismo das artérias femorais, coloca-se uma endoprótese que isola internamente o segmento da aorta doente, sem retirá-lo. Como vantagens, podemos observar uma recuperação mais rápida devido ao menor impacto inicial do procedimento que dispensa uma incisão cirúrgica. Ambas técnicas têm suas indicações e vantagens, bem como suas contraindicações e limitações técnicas. A utilização de uma ou outra é uma escolha extremamente particularizada, dependendo de uma série de características do aneurisma e do próprio doente.

Dica:

Se você tem parentes de primeiro grau com diagnóstico aneurisma da aorta ou tem mais de 60 anos e apresenta os fatores de risco citados, converse com seu vascular. Ele é um especialista que tem o conhecimento sobre técnicas de investigação e de tratamento dessa doença e pode, em conjunto com o paciente, definir a melhor forma de controlar esse problema.

Para saber mais sobre essa e outras doenças vasculares consulte os outros textos desta série do Vascular.pro

Leia tambem:

Tags: artériaarterialaortadica
Categories: Medical

10 artigos mais lidos sobre vascular: retrospectiva 2016

Mon, 12/26/2016 - 21:21

2016 será mais um ano que ficará na história da equipe Vascular.pro e Instituto Amato. Foi um ano que deixou sua marca, com muitas dificuldades, mas também com muitas vitórias: visitamos a Mayo Clinic após receber prêmio internacional do SVS e visitamos também serviço de Vascular no Japão, também com prêmio internacional da sociedade japonesa de cirurgia, publicamos 2a edição de nosso livro "Procedimentos Médicos", curso de OsiriX voltou a funcionar, vários artigos científicos publicados e aceitos para publicação, viajei o Brasil divulgando a técnica de cirurgia de varizes com laser e anestesia local, e muito mais.

Para nosso site não foi diferente. Mais de 959.000 visitas ao nosso conteúdo, 21191 curtidas no Facebook (curta você também), com avaliação 4,5 estrelas. Sempre buscando a melhor informação em angiologia e cirurgia vascular para você.

Os artigos mais lidos em 2016 foram:

  1. Aplicação e Escleroterapia
  2. Cirurgia de Varizes com Laser
  3. Como é o pós-operatório da cirurgia de varizes?
  4. O que é derrame?
  5. Indicações de cirurgia vascular de carótidas
  6. Qual a melhor técnica para tratamento dos vasinhos? Glicose, crioglicose, polidocanol, espuma ou laser?
  7. TEP, o que é isso?
  8. Dor nas pernas: pode refletir um problema vascular?
  9. Úlceras Venosas (úlcera de estase, úlcera varicosa)
  10. A cirurgia de varizes

 

Os artigos onde os usuários dedicaram mais tempo lendo foram:

 

Se você ainda não leu, não perca a chance de ler os artigos vencedores.

Desejamos a todos muita saúde e muitos bebês em 2017.

 

Equipe Vascular.pro

Tags: retrospectivaartigoslista
Categories: Medical

Tratamento de varizes com espuma

Sun, 12/11/2016 - 18:30

Últimamente tem-se falado muito da espuma como tratamento das varizes e vasinhos. É uma técnica que merece ser discutida com seu cirurgião vascular.

A espuma de polidocanol foi, no início estudada como anestésico, porém demonstrou-se mais eficaz em fechar veias do que para anestesiar. Mas esse efeito anestésico fraco traz o benefício de ser uma substância praticamente indolor ao ser injetada. O polidocanol é um detergente que quando agitado forma espuma, e, ao utilizar a técnica de Tessari para formar espuma, essa espuma torna-se densa (método da espuma densa), de modo que ocupa todo o espaço do vaso. Ao preencher o vaso, a espuma de polidocanol causa destruição do endotélio levando a trombose quimica localizada. Essa trombose quimica pode evoluir com a recanalização ou com a fibrose do vaso, que é o resultado desejado. Ao fechar o vaso, fecha-se as varizes.

Apesar de ter resultados animadores, a técnica possui características e desvantagens que devem ser consideradas, como o alto índice de manchas (entre 20 a 30% dos casos), a possibilidade de reações alérgicas e o risco de trombose, até mesmo óbito. Um caso foi recentemente publicado de óbito por embolia pulmonar (Bruijninckx, Cornelis Ma. "Fatal Pulmonary Embolism Following Ultrasound-guided Foam Sclerotherapy Combined with Multiple Microphlebectomies." Phlebology / Venous Forum of the Royal Society of Medicine 31, no. 7 (2016) )

Um outro artigo que comparou o laser, a radiofrequência, cirurgia e a espuma mostrou claramente que as medidas de melhora na qualidade de vida é similar nas técnicas, porém o laser e radiofrequencia tiveram menos complicações, porém a espuma demonstrou uma melhora na qualidade de vida menor que nas outras técnicas, além de uma taxa de fechamento da veia menor, que significa que é necessário repetir o tratamento (e os riscos) para atingir o resultado desejado. (Brittenden, Julie, Seonaidh C Cotton, Andrew Elders, Craig R Ramsay, John Norrie, Jennifer Burr, Bruce Campbell, and others. "A Randomized Trial Comparing Treatments for Varicose Veins." The New England journal of medicine 371, no. 13 (2014)) Esse trabalho foi publicado numa das revistas mais respeitadas da área médica a NEJM.

Resumindo, para quem já tem manchas, está nas fases mais avançadas da doença, deseja evitar outros tipos de procedimento, ou possui riscos cirúrgicos elevados, a técnica da espuma densa para tratamento de varizes deve ser cogitada e discutida com seu vascular.

Porém, seguindo as melhores práticas e diretrizes internacionais*, para aqueles que buscam resultado estético além do tratamento da doença, e querem minimizar os riscos de recanalização, devem optar por técnicas mais definitivas, como o laser, radiofrequencia e mesmo a cirurgia tradicional. 

Todas as técnicas tem seu espaço no tratamento das varizes, simplesmente porque nenhuma delas atingiu excelência em todos os quesitos: preço, eficácia, eficiência, segurança, velocidade, invasividade, recorrência, riscos, etc. Existem técnicas excelentes para tratamento de varizes hoje em dia, técnicas muito melhores do que as disponíveis há 2 décadas, sendo uma área intensamente estudada e onde muitas novidades estão para aparecer, tanto com novas técnicas quanto a associação de técnicas já existentes.

O grande segredo está em identificar qual a melhor técnica para cada paciente em seu contexto pessoal, e essa escolha deve ser feita em conjunto com o cirurgião vascular.

Leia os seguintes artigos:

 

Fonte: "MANAGEMENT OF CHRONIC VENOUS DISORDERS OF THE LOWER LIMBS GUIDELINES ACCORDING TO SCIENTIFIC EVIDENCE." (2014).

De Maeseneer, M G R, and S K van der Velden. "Managing Chronic Venous Disease: An Ongoing Challenge." European journal of vascular and endovascular surgery : the official journal of the European Society for Vascular Surgery 49, no. 6 (2015)

Gloviczki, P, and M L Gloviczki. "Guidelines for the Management of Varicose Veins." Phlebology / Venous Forum of the Royal Society of Medicine 27 Suppl 1 (2012)

Tags: venosovarizestratamentofantástico
Categories: Medical