Cirurgia Vascular

Subscribe to Cirurgia Vascular feed
Clinica de cirurgia vascular, angiorradiologia, endovascular, ecodoppler vascular, angiologia e radiologia intervencionista. Tratamento de varizes com laser.
Updated: 54 min 24 sec ago

Como o estresse afeta o nosso corpo

Mon, 04/10/2017 - 18:41
A cardiologista Dra. Marisa Amato (CRM 30.400) explica quais são os principais efeitos do estresse no organismo e como ele pode afetar algumas das nossas principais funções. Confira!   Link para o teste: https://www.amato.com.br/content/teste-de-estresse   ***** Transcrição: Eu sou Marisa Amato, sou professora livre-docente da Universidade de São Paulo e cardiologista aqui do Instituto Amado. E hoje nós vamos falar sobre um tema que afeta muitas pessoas que é estresse. O nosso corpo ele tá preparado para quando tem um medo, para quando tem um problema, quando precisa sair correndo para fugir ele desencadeia algumas reações para ter energia e força para conseguir vamos assim escapar do perigo, e isso nós chamamos de reação de alerta, ela é no momento do fato, no momento que o homem identifica esse problema ocorrem liberações no cérebro, essas liberações são hormônios que vão agir no organismo inteiro preparando o organismo, por exemplo, para uma fuga essas são as reações de alerta e elas são feitas elas ocorrem para pessoa ter um curto espaço de tempo desempenhar um exercício muito forte. Ela é uma reação normal e natural para durar pouco tempo e essas reações imediatas elas afetam principalmente o aparelho cardiovascular então, a frequência cardíaca aumenta, a pressão arterial aumenta, capacidade respiratória aumenta aumentando o número de vezes que se respira e a profundidade para aproveitar melhor o oxigênio, há uma liberação de glicose do açucar no sangue para dar mais energia e há uma redistribuição do sangue, ou seja, os músculos que vão ser usados para uma luta, para uma corrida, para uma fuga eles recebem mais sangue nesse momento então há um rearranjo, uma redistribuição do sangue no organismo então, as pessoas ficam com as mãos com as  extremidades frias no momento de grande tensão, porque o sangue está indo nos órgãos que vão ser aproveitados de outra maneira. O que acontece nos dias de hoje, o que acontece para se viver numa civilização? Ninguém pode reagir um todo momento ao estresse que vive, e o que acontece? Esse estresse, essa tensão ela fica por muito tempo e esses hormônios que são liberados nesse momento para esse tipo de reação, eles permanecem no organismo, e se não se dá uma solução para o problema, eles continua agindo em nosso organismo. Então, as principais doenças causadas pelo estresse contínuo, constante por essa resistência ao estresse são as doenças do aparelho cardiovascular. Do ponto de vista da parte psicológica o estresse ele afeta muito, ele causa irritabilidade, insônia, diminui a capacidade de trabalho das pessoas, é isso essa angústia e tudo isso acaba levando a obesidade, a pessoa come compulsivamente e uma série de problemas, a obesidade acaba levando a diabetes, e entramos num ciclo vicioso aí as vezes a origem de tudo isso foi é apenas o estresse. Esse período de resistência que o organismo tem ao estresse, ele tem um limite chega um momento em que os órgãos entram em falência e não dão conta mais dessa adaptação e os problemas se tornam muito mais sérios podendo chegar até a morte. Eu digo para as pessoas dê um jeito de controlar o seu estresse, porque vai ter um momento que ele vai controlar você, e existem diversas técnicas para amenizar o que nós vivemos no dia de hoje. Temos uma maneira de avaliar o grau de estresse, quem se interessar pode entrar no site e calcular o grau de estresse. Se você gostou desse vídeo, compartilhe com seus amigos, e se quiser saber outros temas inscreva-se nosso site. Tags: estressecardiologiaprevenção
Categories: Medical

Embolização de mioma

Mon, 04/10/2017 - 18:10

O dr. Alexandre Amato explica as possíveis complicações da Embolia de Miomas e o que ela pode causar na paciente. Assista ao vídeo e saiba mais!

O Dr Alexandre Amato é angiorradiologista e realiza embolização de mioma em regime de hospital dia.

****
Transcrição: Olá, sou Alexandre Amato, sou cirurgião vascular e endovascular do Instituto Amato, e hoje vou falar só sobre a embolização de mioma. As mulheres principalmente que estão na fase fértil, elas têm a influência hormonal e podem desenvolver os miomas no útero, os miomas muitas vezes são assintomáticos, ou seja, não causam sintoma nenhum, mas algumas vezes podem causar dor, sangramentos, dismenorreia, ou seja, aquela menstruação ou no volume muito grande ou associado a dor. Os miomas possuem vários tratamentos, entre eles a embolização de mioma é o tratamento realizado pelo cirurgião endovascular, no qual a gente faz um pequeno furinho na virilha e vai com o cateter até a artéria uterina, a gente vai soltar algumas bolinhas, que vão cortar a nutrição desse mioma. Esse mioma vai acabar recebendo menos sangue e com menos sangue ele vai acabar murchando e diminuindo. A ideia da embolização de mioma é diminuir a sintomatologia, diminuir os sintomas que as mulheres sentem com esses miomas e é uma das melhores técnicas para se preservar a fertilidade e preservar o útero. Você gostou desse vídeo, dessas informações, achou o assunto interessante, quer ou vir falar um pouquinho mais sobre isso? Então curta e compartilhe nosso vídeo. Muito obrigado.

Tags: embolizaçãomiomaangiorradiologia
Categories: Medical

Espaço Vascular

Fri, 03/17/2017 - 10:29

A Vascular.pro ocupa o espaço vascular do Instituto Amato, de modo que a nossa equipe de cirurgiões vasculares, angiorradiologistas, angiologistas e ecografistas vasculares atendem ambulatorialmente e cirurgicamente no Instituto Amato. O Instituto é amplo e atende diversas outras especialidades, oferecendo suporte multidisciplinar para seus pacientes. A junta médica permite a discussão e acompanhamento de casos complexos por múltiplos profissionais.
Exames minimamante invasivos como:

  • Pletismografia
  • Ecodoppler vascular (duplex scan/ultrassom colorido com doppler)
  • Flebovisualização
  • e outros

E cirurgias como:

E procedimentos como:

São realizados no espaço vascular que consiste em sala de atendimento, 2 salas de procedimento e exame, além de 2 salas operatórias totalmente equipadas.

Tags: vascular
Categories: Medical

Exames necessários na avaliação de varizes

Tue, 02/28/2017 - 10:50

De acordo com o dr. Alexandre Amato (CRM 108.651), os exames mais solicitados dentro do Instituto, além dos essenciais clínico e físico, é o ecodoppler venoso, a pletismografia e a fleboscopia. Todos estes procedimentos visam checar como está a saúde vascular do paciente. Assista e saiba mais!

 

[Transcrição]   Sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular, da equipe do Instituto Amato. E hoje nós vamos falar um pouquinho sobre os exames necessários na avaliação do paciente com varizes. O exame clínico com a conversa com o paciente, o exame físico é essencial, sem examinar o paciente é impossível avaliar a gravidade da doença.  Os exames subsidiários, os exames além do exame clínico, o mais frequentem-te solicitado é o ecodoppler venoso ou ultrassom com doppler das veias dos membros inferiores, esse é um exame que não é invasivo, que não doe e que traz muitas informações anatômicas e também funcionais das veias. Outros exames podem ser, pletismografia que é um exame muito útil atualmente que informa não só a existência ou não da insuficiência venosa, mas também como a eficácia da musculatura da panturrilha para bombear o sangue de volta para cima. Nós temos também as fleboscopias então, soa equipamentos que projetam as veias em realidade aumentada sobre a superfície da pele evidenciando as veias que estão doentes. Então atualmente esses são os exames mais realizados, tanto no diagnostico, tanto no planejamento terapêutico.   Tags: videovenosoexame
Categories: Medical

Escleroterapia

Tue, 02/28/2017 - 10:38

Dr. Alexandre Amato (CRM 108.651) explica sobre a escleroterapia, que é um procedimento médico realizado para o tratamento de vasos sanguineos dilatados ou mal formações, ou seja, varizes nos mais diversos tamanhos. Na maior parte dos casos o paciente tem o objetivo estético, porém é utilizado como tratamento da doença venosa. Assista ao vídeo e saiba mais!

[Transcrição]

Eu sou professor doutor Alexandre Amato, eu sou cirurgia vascular do Instituto Amato. E hoje nosso tema é, escleroterapia. A escleroterapia é uma parte do projeto de tratamento de varizes, significa o endurecimento e o tratamento que faz desaparecer as veias. Existem várias técnicas de escleroterapia, desde injeção de substancias liquidas que promovem uma trombose no local e consequentemente a fibrose e desaparecimento dessa veia, como outras técnicas como o laser, a espuma, a radiofrequência, a radioablação, normalmente a associação dessas técnicas apresentam resultados melhores, cada técnica é adequada para cada tipo de veia. Obviamente tendo a doença das varizes elas devem ser tratadas antes de se pensar na parte estética então a escleroterapia faz parte de um contexto maior sendo uma das ferramentas dentro do tratamento de varizes. Ultimamente a associação do laser com a escleroterapia com glicose tem mostrado bons resultados, por que? Nós utilizamos duas técnicas com baixo nível de complicação e essas técnicas associadas promovem um aumento na resolutividade então com menores riscos. Obviamente, as outras técnicas a espuma, a glicose unicamente, a radiofrequência e outros continuam tendo grande aplicação dentro do contexto do tratamento dos vasinhos.    Tags: videoescleroterapiavenoso
Categories: Medical

Aneurisma da Aorta Abdominal

Thu, 01/05/2017 - 16:40

A você paciente, nossos cumprimentos. Se está lendo este pequeno texto, significa que está buscando informação de qualidade em cirurgia vascular. Você chegou ao Vascular.Pro, equipe médica especializada em cirurgia Vascular, Angiologia, Endovascular e Ecografia Vascular.

Introdução:

A Aorta é a maior artéria do nosso corpo, recebe todo o sangue que o coração bombeia a cada batimento e o distribui para todos os órgãos e tecidos do nosso corpo. Daí a sua importância. Para isto, entretanto este órgão precisa se acomodar a uma grande pressão e inúmeras forças que agem em seu interior.

Instalação da doença:

Após longos anos recebendo essa pressão, a aorta pode se fragilizar e ocorrer mudanças em sua estrutura, vindo a se dilatar como um balão. Quando esse aumento do diâmetro é superior a metade do tamanho normal ou esperado para aquela determinada região, isto é chamado aneurisma. Ocorre geralmente após os 50 anos e está muito ligado à outros problemas de saúde como a hipertensão arterial, o tabagismo e também existe um componente familiar muito importante. Irmãos ou filhos de portadores desta doença tem um risco oito vezes maior de desenvolvê-la.

O primeiro grande problema reside no fato da dilatação da aorta ser acompanhada de um enfraquecimento de sua estrutura, o que juntamente e com à alta pressão interna, aumento o risco de uma ruptura. Nesse caso, o sangramento geralmente é muito grande. Oito em cada dez pacientes com uma ruptura da aorta não sobrevivem devido ao sangramento interno. Uma parte da aorta, seu início, está localizada no tórax, e sua porção mais distal no abdome. A grande maioria dos aneurismas da aorta ocorre na sua porção abdominal.

Diagnóstico:

O segundo problema consiste no fato do aneurisma se instalar silenciosamente, não apresentando sintomas até geralmente estar muito grande. O diagnóstico costuma ser ao acaso, durante o exame abdominal realizado por um médico devido a outros motivos (consulta de rotina, check-up) ou em consequência de um exame de imagem (ultrassom, tomografia ou ressonância) solicitado para investigação de outras doenças. Alguns fatores podem dificultar a identificação de um aumento da aorta no exame físico, o mais frequente destes é o excesso de peso. Uma vez feita a suspeita de um aneurisma, um exame de imagem específico se faz mandatório. O ultrassom abdominal (que pode incluir o Doppler) geralmente é suficiente para confirmar ou descartar a presença da dilatação na aorta, fornecendo os dados principais como diâmetro e extensão do aneurisma no abdome. Quando o aneurisma for grande ou extenso demais, geralmente exames com maior grau de definição como a angiotomografia ou a angiorressonância podem fornecer mais detalhes que terão grande relevância na decisão e planejamento de uma eventual correção dessa doença.

Qual o tratamento do AAA?

O tratamento do aneurisma da aorta depende de alguns aspectos, mas o principal é o seu diâmetro no ponto de maior dilatação. De forma geral, no sexo masculino um diâmetro maior que 5,5 cm e no feminino maior que 5,0 cm indicam a necessidade da eliminação desse aneurisma. Aneurismas menores que 4 cm, de forma geral, podem ser apenas vigiados por meio de um ultrassom abdominal anual ou semestral, por terem um risco de ruptura mais baixo. Faz parte do acompanhamento clínico dos portadores de aneurismas pequenos o controle dos fatores de risco como a hipertensão, o tabagismo e os níveis elevados de colesterol que podem de alguma forma interferir, acelerando o crescimento e aumentando o risco de ruptura do aneurisma. A correção de um aneurisma não é isenta de complicações – 1 a 6% dos pacientes podem apresentar problemas graves durante o procedimento de correção e até morte. Os principais agravantes dessa situação são doença cardíaca prévia, mal funcionamento dos rins, doença pulmonar (que pode ser decorrente do cigarro) e a idade avançada. Entretanto como a mortalidade passa dos 80% no caso de uma ruptura, e acima dos diâmetros limite previamente citadas há uma chance maior de 40% ao ano de ruptura, é fácil perceber uma clara vantagem na realização dessa correção fora de uma situação de urgência. Essa correção pode ser feita basicamente de duas formas, O método conhecido a mais tempo é a chamada cirurgia convencional, onde utilizando uma incisão abdominal (um corte na parede abdominal), faz-se a troca do segmento doente por uma prótese artificial. Como vantagens deste método, podemos citar a durabilidade no médio e longo prazo e a menor necessidade de vigilância do procedimento, A segunda forma de intervenção, mais recente, ocorre por via endovascular onde através do cateterismo das artérias femorais, coloca-se uma endoprótese que isola internamente o segmento da aorta doente, sem retirá-lo. Como vantagens, podemos observar uma recuperação mais rápida devido ao menor impacto inicial do procedimento que dispensa uma incisão cirúrgica. Ambas técnicas têm suas indicações e vantagens, bem como suas contraindicações e limitações técnicas. A utilização de uma ou outra é uma escolha extremamente particularizada, dependendo de uma série de características do aneurisma e do próprio doente.

Dica:

Se você tem parentes de primeiro grau com diagnóstico aneurisma da aorta ou tem mais de 60 anos e apresenta os fatores de risco citados, converse com seu vascular. Ele é um especialista que tem o conhecimento sobre técnicas de investigação e de tratamento dessa doença e pode, em conjunto com o paciente, definir a melhor forma de controlar esse problema.

Para saber mais sobre essa e outras doenças vasculares consulte os outros textos desta série do Vascular.pro

Leia tambem:

Tags: artériaarterialaortadica
Categories: Medical